top of page

Congresso aprova definitivamente a reforma da Lei de Ciência, Tecnologia e Inovação

A Ministra da Ciência e Inovação, Diana Morant, destacou que esta reforma concede mais garantias e direitos à comunidade científica e inovadora e introduz importantes melhorias com o objetivo de que as pessoas tenham uma vida digna em torno da ciência na Espanha.

O Plenário do Congresso dos Deputados aprovou definitivamente nesta quinta-feira a reforma da Lei de Ciência, Tecnologia e Inovação, que será publicada no Diário Oficial do Estado (BOE) para sua entrada em vigor.


A Ministra da Ciência e Inovação, Diana Morant, destacou que esta reforma concede mais garantias e direitos à comunidade científica e inovadora do nosso país e introduz importantes melhorias no sistema de I+D+i espanhol com o objetivo de que as pessoas tenham uma vida digna em torno da ciência em nosso país.


Além disso, a reforma protege o financiamento público estável e crescente para P&D com o objetivo de atingir 1,25% do PIB em 2030 -e 3% junto com o investimento privado-, de acordo com o Pacto da Ciência e Inovação


Aperfeiçoamento da carreira científica e técnica na área de I+D+I


Entre as medidas para melhorar as carreiras científicas e técnicas no domínio da I&D&I, a reforma inclui um novo tipo de contrato por tempo indeterminado ligado ao desenvolvimento de atividades técnico-científicas para todo o tipo de pessoal de investigação no âmbito de linhas definidas de projetos de investigação e contratos de I&D&I .


Este contrato por tempo indeterminado, cuja aplicação foi antecipada por Real Decreto-Lei, inclui as singularidades do sistema de I&D&I e não está sujeito aos limites da oferta pública de emprego nem às taxas de substituição.


Da mesma forma, o texto estabelece um novo itinerário de pós-doutorado que busca reduzir a idade de entrada no sistema e facilitar a incorporação estável a ele. Especificamente, projeta um novo contrato de até seis anos, com avaliação intermediária que implica promoção e avaliação final, que permite a obtenção do novo certificado R3.


Este certificado facilitará a consolidação de uma vaga permanente porque parte dos exames de admissão são dispensados ​​e porque são reservadas no mínimo 25% das vagas em organizações públicas de pesquisa e 15% nas universidades.

A reforma da lei também garante novos direitos trabalhistas aos jovens pesquisadores em nosso país como compensação pela rescisão de contratos de pré-doutorado e pós-doutorado.


Medidas para estimular a atração de talento e a mobilidade profissional


A reforma inclui medidas para estimular a atração de talentos para a Espanha e a mobilidade do pessoal de pesquisa, com facilidades para a contratação de pessoal estrangeiro e a possibilidade de dupla alocação em nosso país e no exterior.


Além disso, os mandatos de cinco anos do pessoal de pesquisa dos Organismos Públicos de Pesquisa (OPIS) avaliarão e reconhecerão pela primeira vez todos os méritos de pesquisa anteriormente realizados no setor público e em qualquer universidade, tanto na Espanha quanto no exterior. Até agora, os quinquênios só reconheciam a experiência no OPIS de nosso país.


Da mesma forma, o regulamento redefine o contrato do pesquisador distinto para atrair pessoal científico de prestígio para a Espanha.


Mais reconhecimento para a equipe de pesquisa


Com esta reforma, os quadros técnicos dos Organismos Públicos de Investigação adquirem novos direitos, como a possibilidade de mobilidade profissional, estadias temporárias de formação ou colaboração em empresas tecnológicas.


Por outro lado, as comunidades autónomas são mandatadas para incluir categorias específicas de investigadores em saúde no seu quadro estatutário e desenvolver a sua carreira profissional em termos semelhantes ao resto do pessoal de investigação.


Redução da carga administrativa e promoção da transferência de conhecimento

Outro eixo da reforma visa reduzir a carga administrativa do setor de P&D&I. Por exemplo, em termos de subsídios públicos, o texto introduz medidas para facilitar tanto o procedimento de concessão de ajuda como o de justificação pelos beneficiários.

A norma também visa reforçar a transferência de conhecimento, uma das deficiências do sistema espanhol de P&D&I, por meio de novos mecanismos. Uma delas é o reconhecimento do prazo de seis anos de repasse para estimular a transferência direta do conhecimento e da inovação gerados no setor público para as empresas e a sociedade.


Outros mecanismos incluídos no texto são o desenvolvimento de compras públicas de inovação e a permissão para as administrações públicas investirem e coinvestirem em empresas comerciais, como fazem os países mais avançados, onde o setor público é um agente empreendedor que investe e estimula o investimento privado em R+D+I.


A reforma da lei contempla também a criação da Agência Espacial Espanhola, com uma componente dedicada à Segurança Nacional, para direcionar o esforço em matéria espacial, coordenar eficientemente as diferentes organizações nacionais com responsabilidades no setor espacial e unificar a colaboração e coordenação internacional.


A Agência Espacial Espanhola será responsável pela elaboração de uma Estratégia Espacial Espanhola e a lei estabelece que a sua localização será promovida com base, entre outros, em princípios de coesão social e territorial, melhoria do funcionamento dos serviços públicos e luta contra o despovoamento .


Igualdade de gênero


O texto também busca solucionar as principais desigualdades de gênero que persistem no campo da P&D&I. Para tanto, dará pela primeira vez segurança jurídica à igualdade de gênero no Sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação, garantindo uma dupla abordagem, onde a perspectiva de gênero é o eixo transversal dos instrumentos de planejamento dos agentes públicos em ciência, tecnologia e inovação ao implementar ações específicas.


Assim, os agentes públicos devem ter e avaliar anualmente um plano de igualdade de gênero e também ter protocolos contra o assédio sexual e por motivos de gênero ou orientação sexual.


Está também prevista a criação de um distintivo de igualdade de género em I&D&I para os centros que certifiquem cumprir critérios de excelência nesta área, para além da obrigatoriedade de implementar medidas para eliminar o preconceito de género e integrar a dimensão de género nos projetos de I&D&I.


Neste sentido, será também garantida a igualdade nos processos de seleção e avaliação dos conciliadores e será incentivada a promoção de medidas de ação positiva. Além disso, reconhece-se o papel fundamental da divulgação científica e da educação para promover a mudança sociocultural e promover a corresponsabilidade.

Kommentare


bottom of page