top of page

Acebra participa do Primeiro Encontro de Associações de Cientistas Espanhóis na América


Izquierda-derecha: Dr. Francisco Vilaplana, Dra. Azahara Mesa Jurado, Dra. Eva Ortega-Paino, Dra. Judit Jiménez Sainz, Dra. Veronica Aran Ponte, Dr. Luis Seco y Dr. Felix Aguirre (Primera foto en a tela). Foto: Laid Arisai.



Durante os dias 1 e 2 de junho a Acebra fez parte do I Encontro de Associações de Cientistas Espanhóis na América e do I dia da diplomacia científica na América realizado na Cidade do México . A sessão inaugural foi marcada pela relevância da colaboração científica e da ligação entre Espanha e os países do continente americano, bem como pela conveniência do debate entre cientistas espanhóis no estrangeiro e pela importância da promoção da diplomacia científica.


Este encontro é um marco ao reunir pesquisadores de toda a América representados pelos presidentes das associações formalmente constituídas como Acebra-Associação de Cientistas Espanhóis no Brasil, representada pela Dra. Veronica Aran Ponte; RECEMX-Rede de Cientistas Espanhóis no México representada pelo Dr. Azahara Mesa Jurado; ECUSA-Associação de Cientistas Espanhóis nos EUA, representada pela Dra. Judit Jiménez Sainz; ACIECh-Associação de Cientistas Espanhóis no Chile, representada pelo Dr. Felix Aguirre e ACERCA-Associação de Cientistas Espanhóis no Canadá, representada pelo Dr. Dr. Francisco Vilaplana, e sua secretária geral, Dra. Eva Ortega-Paino.


As associações de cientistas espanhóis na América compartilharam a mesa plenária onde foi discutido o estado atual das associações e os principais desafios a serem enfrentados. Nesse contexto, nossa presidente, Verônica Aran Ponte, apresentou o avanço da Acebra nos últimos meses, destacando o aumento no número de associados da associação e a organização doI Encontro Acebra: Estratégias de Cooperação Brasil - Espanha em ciência, cultura e inovação que acontecerá nos dias 16 e 17 de junho de 2023 no Instituto Cervantes, no Rio de Janeiro. Da mesma forma, o Dr. Arán destacou a necessidade de um programa de bolsas de mobilidade para membros das associações do continente americano, a fim de promover uma maior cooperação científica na região com o objetivo de reduzir a disparidade de oportunidades entre o norte e o sul do o continente.


Finalmente, vale destacar a participação dos conselheiros das embaixadas espanholas no continente americano e dos diretores dos Institutos Cervantes como agentes essenciais para a promoção e colaboração entre Espanha e América.

bottom of page